Bannerweb_SOBREVIVENTE_ALERO_970x250-2.gif

Servidor do Detran é preso por embriaguez em carro oficial do órgão




Na noite da última segunda-feira, 02, a guarnição de trânsito da Polícia Militar registrou uma ocorrência inusitada em Vilhena: prendeu em flagrante, dirigindo embriagado, um funcionário do Detran, que estava em uma picape oficial do órgão.

Segundo apurou o jornal, após receber denúncia anônima dando conta de que o servidor de 62 anos estava em um bar no centro da cidade tomando cerveja ao lado da caminhonete adesivada, a guarnição foi até o local e confirmou a veracidade da informação.

Ao dar a volta da quadra, a equipe policial percebeu que o veículo havia saído do boteco, e já na BR 364, com sirene e sinais luminosos ligados, a abordagem foi feita. O condutor só parou após os policiais emparelharem a viatura e fazerem sinais com as mãos.

Durante a abordagem, os militares perceberam que o condutor apresentava sinais de embriaguez, como olhos avermelhados, odor de álcool e fala arrastada. Questionado se havia bebido, o suspeito confirmou ter tomado “duas cervejinhas”.

Ao aceitar se submeter ao teste do bafômetro, o servidor acabou recebendo voz de prisão, pois o aparelho mostrou a quantia de 0,63 mg/L de álcool em sua corrente sanguínea, caracterizando crime de trânsito.

Levado para a Unisp, junto com o carro oficial, o condutor deverá ser autuado. O veículo pertencente ao órgão estadual de trânsito foi entregue a outro condutor habilitado.

Esclarecimento

Perto do meio-dia, quase duas horas depois da publicação da matéria, o Rondoniaovivo recebeu a seguinte nota de esclarecimento que será divulgada na íntegra:

O Departamento Estadual de Trânsito – Detran–RO, esclarece sobre a prisão em flagrante de um servidor do quadro efetivo da autarquia quando o mesmo foi abordado pela Polícia Militar na cidade de Vilhena, na noite desta segunda-feira (2), com a acusação de estar conduzindo um veículo oficial sob efeito de bebida alcoólica.

O Detran ressalta que não compactua com esse tipo de conduta que possa ser praticada e que toda a apuração está sendo realizada, para, posteriormente, adotar as medidas que o caso requer dentro do que define a lei, tanto na esfera criminal quanto na administrativa.