Bannerweb_SOBREVIVENTE_ALERO_970x250-2.gif

Operação cumpre 14 mandados e bloqueia mais de R$ 2,5 milhões de empresas em Rondônia



Nas primeiras horas desta segunda-feira, 7, a Polícia Civil do estado do Acre, com o apoio da Polícia Civil de Rondônia, deflagrou a 1° fase da “Operação Ventríloquo”, dando cumprimento a 14 mandados de busca e apreensão, 4 mandados de prisão preventiva, sequestro de bens e valores, inclusive com bloqueio de R$ 2,3 milhões em valores, nas contas bancárias de pessoas físicas e jurídicas.

A ação teve seus desdobramentos nas cidades de Cacoal/RO, Ji-Paraná/RO, Ariquemes/RO, Porto Velho/RO e Rio Branco/AC.

Segundo a Polícia Civil, essa primeira etapa da investigação conseguiu identificar um esquema estruturado de sonegação fiscal, lavagem de dinheiro e associação criminosa, a partir da constituição de pessoas jurídicas e físicas que tinham o único objetivo de acumular dívidas tributárias, através da aquisição de produtos que, desde 2018, eram revendidos numa rede de lojas de suplementos esportivos.

As investigações apontam que o desequilíbrio econômico, sobretudo diante da reinserção do ativo criminal, propiciou um crescimento exponencial nos negócios das empresas.

Durante a ação policial, que contou com 50 agentes de Polícia Civil, quatro delegados, sendo um de Rondônia, deu cumprimento a 14 mandados de busca e apreensão, 4 mandados de prisão preventiva, 8 sequestros de veículos, R$ 2,3 milhões em valores bloqueados nas contas bancárias de pessoas físicas e jurídicas, 8 pessoas jurídicas investigadas no estado do Acre em Rondônia.

O nome da operação “ventríloquo” tem a ver como modus operandis da quadrilha que se utilizava, a partir da constituição de pessoas jurídicas fictícias, como uma espécie de “laranja” ou “ventríloquo” de que tinham o único objetivo de acumular dívidas tributárias, através da aquisição de produtos e sonegar os impostos fiscais.



Ac24h