banner970x250_ALERO_MULHER.gif

VEJA VÍDEOS: pit bull de Vilhena desbanca “rival” de Porto Velho e é candidato a entrar para o Guiness Book como um dos maiores do mundo






Cinco dias após viralizar em Rondônia uma reportagem portal G1 mostrando que o candidato a maior pit bull do mundo é criado em Porto Velho, o FOLHA DO SUL ON LINE encontrou, em Vilhena, um exemplar mais avantajado de animal da mesma raça.
Segundo o veículo ligado à Rede Globo, que entrevistou o dono do cão, o enorme “Drax” foi preparado para bater o recorde mundial de tamanho e superar o atual detentor do título, que se chama Hulk e vive nos Estados Unidos (LEIA AQUI).

O FOLHA DO SUL ON LINE entrevistou o tutor de “Neizon”, que assim como seus concorrentes, é da categoria “Monster”. Segundo o comerciante Jorge Pudell, dono de duas lojas de rações em Vilhena (Central Rações), o animal foi adquirido de um criador de Cacoal, é registrado e com pedigree reconhecido.


“Ele foi produzido pelo meu amigo Adilson, do Icaraíma Monster's Kennel, e hoje é criado no meu canil, o Pudell Bull Kennel”, explicou o comerciante, acrescentando que o avô de Neizon foi importado dos Estados Unidos.


O gigante Neizon tem mais peso que seu concorrente da capital: um vídeo da pesagem dele mostra a balança chegando próximo dos 86 quilos, quase 5 a mais que o “rival”. Além disso, também tem o crânio maior.


E o cachorro poderia ser até mais pesado, caso não estivesse cruzando com duas cadelas ao mesmo tempo. Segundo explicou Pudell, nesse período ele come bem menos. O criador, que também tem um canil registrado em Vilhena, disse que até faz questão de mantê-lo abaixo dos 92 quilos que o bicho já atingiu.


“Não quero que ele fique obeso. Tanto que a alimentação dele é abaixo de coxas e peitos de frango, mais a suplementação, garante Jorge, que diz não ter interesse em colocar o grandalhão para brigar por títulos no Guiness Book.




MONSTRO DÓCIL

Apesar da envergadura, Neizon é um cão dócil. O dono enviou, para ilustrar esta reportagem, uma foto e vídeo do cachorro brincando com sua filha, que tem menos de dois anos.


Além de ajudar a alimentá-lo, a garotinha também transforma Neizon em “cavalinho” e nunca houve sequer um rosnado de ameaça contra ela.


CRIAÇÃO INFLUENCIA

Ao contrário dos pit bulls “tradicionais” que resultam de vários cruzamentos, Neizon é considerado “puro”. Pudell diz que, até pela mobilidade, ele é menos violento que os outros e ensina: “se o dono o cria para ser violento, o cão vai atacar. Aliás, até um vira-lata fica agressivo conforme é ensinado”.

CLIQUE ABAIXO e assista os vídeos.






Folha do Sul Online