banner970x250_ALERO_MULHER.gif

PF faz operação para prender quadrilha que levava droga de RO ao MA através da Transamazônica



A Polícia Federal (PF) deflagrou nesta quinta-feira (11) mais uma ação para combater o tráfico de drogas em Rondônia. Desta vez, a operação Intervenção tem por objetivo desarticular uma organização criminosa que enviava droga de Rondônia para o Maranhão através da Transamazônica e da BR-364.


Ao todo, os agentes da PF cumprem 28 mandados de prisão preventiva e de busca e apreensão, expedidos pela Vara de Delitos de Tóxicos de Porto Velho.


Os mandados são cumpridos em cinco cidades: Guajará-Mirim (RO), Porto Velho, Paço de Lumiar (MA), São José de Ribamar (MA) e Parauapebas (PA).


O que se sabe até agora:



O envio de drogas de Rondônia para o Maranhã era feito por veículos utilitários, caminhões e ônibus;
A ação criminosa acontece há pelo menos oito meses e a sede do grupo criminoso fica em Porto Velho;

A PF diz que esse grupo portovelhense adquiria a droga em Guajará Mirim e enviava para a droga para a cidade de São Luís, capital do Maranhão;

A droga era enviada para o Maranhão por rodovias federais, especialmente a BR-364 e BR-230 (Transamazônica);

Em março deste ano, integrantes do grupo criminoso foram flagrados tentando trocar um caminhão por cocaína na cidade de Guajará-Mirim;

Desde março, três remessas de drogas foram apreendidas com os suspeitos, sendo os flagrantes nas cidades de Ji-Paraná e Porto Velho.

Segundo a PF, o dinheiro da droga era recebido de forma dissimulada em contas bancárias de empresas de “fachada” e de pessoas próximas aos traficantes.





Na última quarta-feira (10), dois homens integrantes da quadrilha foram presos tentando levar uma nova carga de droga a partir de Rondônia. Eles estavam em um caminhão boiadeiro quando foram abordados pela PF e Polícia Rodoviária Federal (PRF) na BR-364, entre Guajará-Mirim e Porto Velho.


No veículo foram encontrados 200 quilos de cocaína. O entorpecente estava escondido um fundo falso, segundo a polícia.



Carregamento de droga da quadrilha, apreendido pela PF na última quarta (10) em Rondônia — Foto: PRF/Divulgação


Os presos na operação Intervenção devem responder por tráfico de drogas, associação ao tráfico, e lavagem de dinheiro.