BANNER-ALE-PODER_3-970x250.gif

Homens são presos por revenderem gasolina boliviana a R$ 3,80 em Rondônia




Dois homens foram presos pela Polícia Federal (PF) por contrabando de gasolina na fronteira entre Guajará-Mirim (RO) e a Bolívia, a 330 quilômetros de Porto Velho. O flagrante foi no fim da tarde de quinta-feira (26) e, segundo a polícia, a dupla revendia o litro da gasolina no Brasil por R$ 3,80.


A PF informou que o contrabando de gasolina adulterada foi descoberto após investigação de outra ocorrência com o mesmo tipo de crime.



Depósito onde a gasolina era guardada pelos suspeitos em Guajará — Foto: PF/Reprodução


Os policiais federais descobriram o local em Guajará-Mirim onde a dupla escondia a gasolina transportada da Bolívia.


Ao todo, os suspeitos recebiam 400 litros de gasolina boliviana para serem revendidos em Guajará-Mirim.


"Os policiais chegaram a flagrar uma movimentação de motoristas que dirigiam-se ao imóvel para abastecer seus veículos em Guajará-Mirim", diz a PF.


Polícia diz ter flagrado motoristas abastecendo em ponto clandestino em Guajará-Mirim — Foto: PF/Divulgação



Segundo a polícia, os dois investigados foram presos e confessaram a prática do crime de contrabando e revenda do litro da gasolina a R$ 3,80.


A dupla recebeu voz de prisão e levada ao presídio de Guajará-Mirim, onde permanece à disposição da Justiça.


Preço da gasolina em Rondônia



Atualmente, o preço médio da gasolina no estado de Rondônia custa R$ 6,02, segundo a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).


Na última semana, o levantamento apontou que alguns estabelecimentos já comercializavam o litro da gasolina por R$ 6,49. A pesquisa foi feita em 226 estabelecimentos do estado.


Contrabando de gasolina na fronteira


Esse é o segundo caso de contrabando de gasolina registrado em menos de dez dias na fronteira entre Rondônia e a Bolívia.


No último dia 18 de agosto, um rapaz de 21 anos foi preso com 600 litros de gasolina sendo atravessados da Bolívia para Guajará-Mirim.


A travessia do combustível contrabandeado geralmente é feito pelo rio Mamoré e a carga levada sempre para portos clandestinos da região.



Gasolina foi transportada do Brasil para a Bolívia em barco — Foto: PF/Reprodução



G1