banner970x250_ALERO_MULHER.gif

Pontos de vacinação em Porto Velho revoltam quem precisa se vacinar



Quinhentos e trinta e nove mil, trezentos e cinquenta e quatro pessoas vivem em Porto Velho (RO) e em tempo de vacinação contra a covid-19, apenas dois pontos de imunização estão disponíveis para os moradores da maior capital em extensão territorial do país. Os dados são do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas).


Para se vacinar em Porto Velho, é necessário se cadastrar no aplicativo ‘Sasi’, e aguardar o agendamento feito pela Prefeitura de Porto Velho, sem a certeza de quando terá acesso a vacina.

Os locais de vacinação na capital são dois. Um no campus da Faculdades Uniron, localizado na avenida Mamoré, na Zona Leste; o outro é no Centro Universitário São Lucas (campus da antiga Ulbra), na rua João Goulart, no bairro Mato Grosso, na região Central, da capital.

Desde quando iniciou a vacinação na capital, diversas vezes a prefeitura registrou aglomerações nos postos de imunização e teve dificuldades para organizar as filas. Em várias ocasiões, o tamanho das filas era quilométrico.





Quem mora na região Sul da cidade, e precisa ser imunizado, certamente vai passar por dificuldades. Isso porque, terá que se deslocar para as zonas Central ou Leste. Muitas vezes, a localização dos centros de vacinação é um fator de dificuldade para o deslocamento de quem necessita se imunizar.

Longa espera

A pessoa que se cadastrar no aplicativo Sasi, será alertada por mensagem do local de vacinação. Feito isso, deve-se chegar ao local de imunização no horário marcado para não gerar aglomerações, esse é o alerta dado pela prefeitura. Mas algumas vezes, a pessoa não é vacinada no tempo programado e precisa ficar horas na fila de espera.


O Rondoniaovivo conversou com Secretaria Municipal de Saúde (Semusa), e questionou sobre a logística adotada pela pasta para atender toda a demanda da capital.

Segundo a repartição, a escolha dos dois pontos de vacinação se deveu aos grandes espaços. “São levados em conta o número de doses diárias, o tamanho do espaço, disponibilidade de internet e computadores para alimentação de sistema”, informou a Semusa.

A reportagem questionou ainda, porque a secretaria não ampliou a vacinação para os postos de saúde municipais dos bairros. “Nos postos há apenas uma sala com duas pessoas, já que as demandas são menores. Para a vacina da covid-19 os agendamentos são em grandes volumes e são necessários espaços maiores”, explica.

A pasta declarou também, que pretende realizar novos eventos para atender toda a demanda e desafogar os pontos fixos de vacinação.

Semusa culpa acompanhantes por aglomerações

Ainda sobre as aglomerações nas filas de espera, a Semusa declarou que os acompanhantes dos agendados que estão causando este problema. “O alto volume de pessoas se dá em razão dos acompanhantes. Quando temos por exemplo 2 mil pessoas, isso acaba se tornando 4, pois muitos levam acompanhantes e isso acaba gerando aglomeração”, finaliza.




Atualmente a prefeitura está vacinando pessoas acima de 40 anos.



Rondoniaovivo