banner970x250_ALERO_MULHER.gif

ESCÂNDALO: Abono natalino de R$ 3 mil gera suposta 'rachadinha' na Câmara de Candeias




O natal abonado em 2018 para os nove servidores estatutários e pouco mais de 20 servidores comissionados da Câmara Municipal de Candeias do Jamari, cidade localizada aproximadamente há 30 quilômetros da capital, Porto Velho, se tornou alvo de suspeita de corrupção.


O então presidente do Poder Legislativo na época, vereador Edcarlos dos Santos, concedeu um abono a partir de R$ 3 mil para os servidores, porém suspeitas foram levantadas de que esse dinheiro foi dividido pelos servidores com os vereadores, o que levou o caso a ser conhecido como escândalo da “rachadinha de natal”.

MP e TCE


Com o gasto em excesso da folha de pagamento dos servidores da Câmara de Candeias, o Tribunal de Contas do Estado - TCE e Ministério Público Estadual – MP/RO decidiram entrar em cena e constataram que sob a presidência de Edcarlos dos Santos tinha ultrapassado o limite determinado pela lei de responsabilidade fiscal.

A Lei impõe um teto de gasto de 70% para folha pessoal, porém Edcarlos gastou a 71,38% de toda a receita corrente líquida transferida naquela ano pela prefeitura de Candeias com a folha de pagamento, fato que o levou a ser considerado inelegível pela Justiça.


A quebra do sigilo bancário dos vereadores e servidores que atuavam na Câmara de Candeias nesse período pode ser vital para descobrir se a suspeita é verdadeira, já que fontes ligadas aos bastidores da política do Município afirmaram à reportagem que a suposta rachadinha foi realizada através de movimentações financeiras em contas correntes.