GIF-SEU-PODER_970x250-1.gif

Homem mata esposa e em seguida comete suicídio em RO



A Polícia Militar registrou, no início da manhã desta quinta-feira (7), um boletim de ocorrência por ter encontrado os corpos de Valdeci Rodrigues da Silva, 68 anos, e de Leila Dias Ferreira da Silva, 47 anos, no interior de uma residência localizada na rua Sebastião Cabral de Souza, bairro Nova Ouro Preto, na Estância Turística de Ouro Preto do Oeste. A ocorrência foi registrada como crime de homicídio, seguido de suicídio.


De acordo com a polícia, uma das testemunhas informou que Valdeci foi acometido de câncer, e que na noite de quarta-feira (6) havia pedido para sua filha menor de idade sair de casa, em razão de ter ficado acordado com os familiares que ele iria se deslocar à capital na madrugada de quinta-feira (7), por volta de 01h, na companhia de Leila, para fazer tratamento no Hospital de Amor Amazônia.

A testemunha relatou também que, no início da madrugada, não recebeu nenhuma ligação do casal informando sobre o deslocamento até Porto Velho e que Leila não atendia as ligações feitas pelos familiares. A pedido da irmã de Leila, a testemunha, juntamente com a filha de Valdeci, foi até a residência do casal. Ao adentrarem, depararam-se com os corpos das vítimas no interior da casa.

A Polícia Militar foi acionada e compareceu ao local. Após colher as informações do crime, isolou o local até a chegada da pericia criminal e da Polícia Civil. Ainda segundo a polícia, Leila apresentava lesões na cabeça provocada por golpes de tábua de cortar carne, além de uma perfuração no pescoço causada por faca. No corpo de Valdeci, constataram-se cortes nos dois braços e dois cortes no pescoço, todos provocados por faca de cozinha.

Conforme foi apurado pela reportagem, a polícia trabalha com a hipótese de Valdeci ter matado a ex e, em seguida, cometido suicídio. No local do crime, os policiais encontraram a quantia de R$ 250,00 na carteira de Valdeci e R$ 530,00 pertencentes à Leila. Parentes do casal disseram que as vítimas estavam em processo de separação.

A tábua de cortar carne e a faca, ambas utilizadas nos crimes, foram encaminhadas e entregues à Unidade Integrada de Segurança Pública (Unisp). Os corpos das vítimas foram liberados para os trabalhos fúnebres.


Gazeta Central