Acompanhado da imprensa e vereadores, Isaú Fonseca vistoriou dependências do HM de Ji-Paraná




No primeiro compromisso oficial como novo prefeito de Ji-Paraná, Isaú Fonseca (MDB) visitou, na manhã desta terça-feira (5), as dependências do Hospital Municipal Dr. Claudionor Couto Roriz. Na ocasião, o novo chefe do Executivo esteve acompanhado do vice-prefeito, vereadores e membros da imprensa local.

Isaú Fonseca realizou a vistoria no HM para mostrar as condições em que assumiu a Saúde em Ji-Paraná, em especial a situação dos leitos de unidade de tratamento intensivo (UTI) para enfrentamento do novo coronavírus (Covid-19), que estão bloqueados desde 28 de dezembro, pouco mais de 20 dias após a inauguração da unidade.


Os leitos estão bloqueadAcompanhado da imprensa e vereadores, Isaú Fonseca visita dependências do HMos, há cerca de uma semana, por falta de medicamentos. O espaço contou com apoio do Governo Estadual, que destinou monitores e respiradores. Porém, a falta de insumos fez com que a unidade parasse de receber pacientes. O prefeito de Ji-Paraná, Isaú Fonseca, criticou o modo como os leitos de UTI foram inaugurados pela antiga gestão municipal.


“Todos os técnicos daqui, falaram que isso aconteceria [bloqueio dos leitos]. Mas o grande problema, é que eles [antiga gestão] esperavam que isso iria acontecer quando eu estivesse tomando posse, para que vocês da impressa falassem que eu sou incompetente e não dou conta de tocar uma UTI[…] Puxar uma faixa de uma placa, para dizer que está inaugurando uma UTI, é muito simples. Mas isso é brincar com a vida humana, brincar com a saúde do povo, um ato irresponsável”, criticou Isaú.


O Hospital Municipal de Ji-Paraná conta com dez leitos de UTI, porém apenas cinco estavam funcionando, sendo que só ficaram em atividade no período entre 4 e 28 de dezembro de 2020.


Segundo a ex-titular interina da Secretaria Municipal de Saúde (Semusa), Franciany Chagas Ribeiro Brasil, a ação de bloquear os leitos de UTI foi tomada após decisão entre o corpo técnico responsável pela unidade.


“Não é apenas uma medicação, são várias medicações [que estão em falta]. São medicações que mantém o paciente sedado, como bloqueadores neuromusculares, medicações essenciais para manter o paciente e fazer o tratamento intensivo desse paciente”, explicou Franciany.

A nova responsável pela Semusa, Eliane Pereira Dias Cruz, destacou o potencial da equipe que trabalha no HM, mas criticou a falta de estrutura e também dos insumos disponíveis na unidade de saúde.

“O nosso grande desafio é tratar bem as pessoas que nos procuram, dando o melhor que a gente tem. Isso é o que eu quero e que todos de Ji-Paraná também querem. Vamos procurar acolher bem as pessoas, como todos nós merecemos”, enfatizou Eliane.


Isaú Fonseca fez questão de destacar a Saúde como prioridade máxima na Nova Ji-Paraná e que vai trabalhar duro para reinaugurar os leitos de UTI, sem que as unidades sejam novamente bloqueadas por falta de medicamentos. O prefeito também ressaltou que não pensa em um novo lockdown no município.

“Estamos lutando, diuturnamente, para que possamos reabrir esses leitos e não fechar mais. Vamos fazer de tudo para que o comércio de nossa cidade não feche. Para isso, vamos fazer um ato preventivo, em toda a cidade. Mas também quero pedir para que a população se cuide, pois o caso está se agravando cada dia mais. Nós estamos em uma união de esforços, com toda a Prefeitura voltada à saúde pública. Determinei que todo secretário se mantenha atendo à saúde, para que possamos devolver e entregar ao povo a tranquilidade”, determinou Isaú.