Após vencerem a Covid-19, mulheres de cidades do Cone Sul de Rondônia relatam a mesma sequela: queda de cabelos

TEMA-08_WB_COVID-2021_728x90-px-1.gif




Uma das entrevistadas teve seu drama relatado pela FOLHA

A reportagem do FOLHA DO SUL ON LINE conversou com várias mulheres que contraíram Covid-19 nos últimos 5 meses e todas relatam estarem sofrendo uma acentuada queda de cabelos, tendo algumas que cortar as "madeixas" para amenizar o problema.

Uma das entrevistas, Leidiane Vieira do Amaral, que reside Em Colorado do Oeste, relatou que de fato vem sofrendo com a queda de cabelos, mas não imaginava que as causas pudessem ser efeitos da doença, que a acometeu a cerca de três meses.

"Todas as vezes que lavo meus cabelos caem muito e só de passar a mão neles secos, meus dedos saem cheios de fios", afirmou a dona de casa.

Já Regiane Cristina Leite, que teve seu drama divulgado em uma reportagem do site a cerca de quatro meses (relembre AQUI), relatou que teve que abrir mão do aplique que usava, pois os fios ficaram tão debilitados após a doença que caem com muita facilidade. Após retirar o mega hair, a jovem teve que cortar os cabelos naturais acima dos ombros, devido o volume ter diminuído drasticamente.

Porém, Luzimar Messias da Silva, que é técnica de enfermagem e advogada no mesmo município, foi a que apresentou o mesmo sintoma de forma mais acentuada, pois nos últimos 30 dias, acredita já ter perdido 50% dos fios.

Investindo em tratamentos para amenizar o problema, a profissional da saúde afirmou ter feito vários exames e todos apresentaram resultado normal, o que a leva crer que as causas da queda de cabelo intensa que tem sofrido, são de fato, efeitos colaterais da Covi-19, da qual se curou a cerca de 120 dias.

Como os efeitos pós-Covid variam de organismo para organismo, ainda não há uma relação exata das sequelas que mais acometem as pessoas que se curaram da doença, porém, a queda de cabelos foi unânime entre as moradoras de Vilhena, Colorado do Oeste e Cabixi que foram entrevistadas pela reportagem do site.



Fonte: Folha do Sul
Autor: Leir Freitas