Revitalização do Complexo da Madeira Mamoré deve ficar pronta no fim de outubro

S-BANNER-VAI-PASSAR_02_728x90.gif BANNER-COVID-2_728X90-px.gif


A revitalização do complexo da Estrada de Ferro Madeira Mamoré (EFMM) de Porto Velho já tem prazo para ser entregue. Segundo o presidente da Funcultural, Ocampo Fernandes, a Santo Antônio Energia finaliza os trabalhos no final de outubro deste ano.


O presidente explica que após a conclusão da obra, a Prefeitura vai definir as ocupações de restaurantes, bares, lanchonetes, lojas, estacionamento e entre outros. “Isso tudo vai ser terceirizado. A perspectiva é que a partir de dezembro comecem as licitações para a ocupação dos espaços dentro do complexo. Até o final do mês de outubro, aquilo que ficou de responsabilidade da Santo Antônio Energia será entregue”, disse Ocampo Fernandes.


A intenção da Prefeitura é procurar por uma empresa terceirizada para cuidar e administrar o complexo. “Se houver essa terceirização, a gente está assegurando a manutenção e a preservação do patrimônio”, esclareceu o presidente.


O presidente disse que há alguns anos já ocorreram várias tentativas de revitalizar o complexo. “Mas órgãos públicos, assim como algumas pessoas que se dizem protetoras da EFMM, impediram que a benfeitoria fosse feita. Uma das tentativas ocorreu em meados de 2007 e 2011. A maior de todas as intervenções é agora na gestão do Hildon Chaves, que fez a obra acontecer e será entregue para a nossa população”, destacou Ocampo Fernandes.


Apesar de a grande obra ser um benefício para a população, existem políticos, candidatos à reeleição, que estão criticando o trabalho realizado pela Prefeitura, segundo Ocampo Fernandes. “Essas pessoas nunca pegaram uma peça da EFMM quando estava boiando no Rio Madeira na enchente de 2014, igual eu fiz. Nunca fizeram nada pra ajudar o complexo, apenas criticam a benfeitoria”, enfatizou o presidente.


No local já foram realizadas a recuperação dos galpões, pista de caminhada, drenagem, calçamento, plantação de grama, iluminação, pintura, recuperação de duas locomotivas e três vagões e a recuperação da litorina.

Aplicação de Recursos

O investimento na obra é de R$ 30 milhões, sendo que a maior parte do recurso integra as ações de compensação da Santo Antônio Energia (SAE).




Rondoniagora