INSANO: Após sair da cadeia, apenado tenta matar ex, rouba carro e troca tiros com a PM

R-BANNER-VAI-PASSAR_01_728x90-1.gif


Após sair da cadeia, o apenado Emerson Junior Telles Santos, 30, tentou matar a ex-esposa de 51 anos, roubou o carro dela e na fuga colidiu contra o muro de uma oficina de motocicletas na Rua Aruba, bairro Socialista, na zona Leste da capital de Rondônia. O crime aconteceu na noite de quinta-feira (24). O acusado conseguiu escapar do cerco após atirar na direção da polícia.



Consta em registro de ocorrência, que depois de sair da Colônia Penal no período da tarde, o acusado usando tornozeleira eletrônica telefonou para a ex-esposa e combinou de conversar com ela.


A vítima aceitou e os dois começaram a ingerir bebida alcoólica na casa dela. Tudo ocorria bem até que o acusado desconfiado pediu o celular da ex para ler as mensagens no WhatsApp.

A vítima negou entregar o aparelho e neste momento tomado pelo ciúmes o apenado investiu contra ela com socos no rosto. Logo depois, ele pegou uma faca e saiu correndo atrás dela. A mulher conseguiu se esconder na casa de um vizinho e ligou para a polícia.

O apenado roubou o celular da vítima, a quantia de R$ 300,00 e o carro dela modelo Saveiro. Ele saiu do local, mas depois retornou com uma arma de fogo procurando a vítima para matar.

Como não localizou, ele teria ligado todas as bocas do fogão, derrubou uma moto com o tanque aberto na sala e saiu dizendo que ia incendiar a casa.


Contudo, nesta hora a Polícia Militar que havia sido acionada chegou e o acusado fugiu em alta velocidade no carro da vítima. Porém, perdeu o controle da direção e bateu no muro de um oficina de motos, que ficou parcialmente destruído.

Mesmo assim, ele fugiu correndo, atirou contra os policiais e entrou em um matagal. Os militares revidaram e também atiraram, mas ninguém foi atingido.

Equipes da Polícia Militar fizeram buscas, mas localizaram apenas a tornozeleira que o apenado arrancou da perna. A ocorrência foi registrada na Delegacia Especializada em Atendimento a Mulher (Deam) e a Polícia Civil seguirá no caso.










Rondoniaovivo