Polícia Civil realiza operação para prender 30 membros de facção

BANNER-VAI-PASSAR_02_728x90.gif 728x90d411b4316c22701e.gif


A Polícia Civil, através da Delegacia de Repressão ao Crime Organizado – Draco contando com o apoio de diversas unidades policiais, deflagrou na manhã desta quinta-feira (06) a operação denominada Metastasis, para o cumprimento de 30 mandados de prisão e 39 de busca e apreensão.

Tais mandados foram emitidos como resultado de meses de investigação policial, visando a responsabilização criminal de lideranças e membros das Organizações Criminosas atuantes dentro e fora dos presídios estaduais, cujas ações consistiram na prática de crimes gravíssimos, tais quais: homicídio; roubo, trafico de drogas entre outros.

Desde o princípio, a investigação foi classificada como prioritária dentro da Draco, ante a demanda social premente e a necessidade de desestruturar estas verdadeiras organizações do crime, e que exigiu a elevação no nível de atenção com o “estado de guerra” que se instalou na capital do Estado, especialmente no mês de junho, com a exibição de vídeos contendo trocas de ameaças e exibição de armas, além de ações efetivas de agressão direta e recíproca entre os membros dos grupos rivais, e que atingiu seu ápice com o assassinato cruel do jovem Rubem Ariel.

Por tudo isto, lançou-se mão de modernas técnicas de investigação, capazes de interceptar o conteúdo das ordens que partiam de dentro das unidades prisionais, as quais se davam, seja por meio de comunicações telefônicas ou aplicativos de mensagens, como é o caso do whatsapp e até por meio de bilhetes manuscritos.


Precedentemente à deflagração da operação no dia de hoje, já fora possível impedir o ataque criminoso a moradores do conjunto Habitacional Orgulho do Madeira, tendo esta ação policial resultado na prisão em flagrante de criminosos e na apreensão de armas de grosso calibre. Também foi possível a prisão de lideranças que estavam se acoitando dentro da própria unidade de habitação citada.

Já no dia 25 de junho do corrente ano, uma nova e significativa apreensão foi registrada, mais uma vez envolvendo farto armamento que seria usado em empreitadas criminosas.

Ainda em data pretérita, os investigadores da Draco juntamente com servidores da Secretaria de Justiça – Sejus conseguiram impedir o ingresso de aproximadamente cinqüenta aparelhos celulares e drogas, além de serras, que estavam prontos para serem enviados para dentro dos presídios.

O nome da operação

A palavra “metastasis”, em grego, tem como significado a expressão “mudança de lugar”. Para esta operação, usa-se sua referencia ao termo “metástase”, ou seja, a formação de uma lesão tumoral a partir de outra.

Cediço que a existência de facções criminosas não é uma exclusividade brasileira, muito menos um evento recente. Todavia, é inquestionável a necessidade de constantes e sucessivas ações no sentido de conter sua disseminação por meio do arrebatamento de jovens, que se iludem ante a possibilidade de vida fácil, mas que na esmagadora maioria das vezes, conduzem-os a uma morte prematura.


Estas organizações são como um câncer que se alastra em nossa sociedade, nutrida pela ilusão e pela desigualdade social. O embate a este problema, pela vertente da segurança pública, passa pela adoção de medidas constantes, precedidas de cuidadoso trabalho de inteligência no sentido de trazer a identificação de cada um dos envolvidos, de modo a permitir que a polícia seja pontual e direta, preservando a paz social.







Fonte: Rondoniaovivo