Batalhão de Polícia Ambiental realiza fiscalização para combater pesca clandestina em Rondônia

BANNER-VAI-PASSAR_02_728x90.gif 728x90d411b4316c22701e.gif


A pesca clandestina é considerada a principal causa da predação de espécies protegidas. O Batalhão de Polícia Ambiental alerta sobre as consequências de quem for pego atuando com pesca ilegal. Ela ameaça a biodiversidade, causa problemas econômicos, gera competição desleal à pescadores legalizados.

“O crime de pesca predatória é de três anos de detenção, além da multa que pode chegar até R$ 100 mil”, afirmou o subcomandante, capitão Jairo Alves Carneiro.


O Batalhão de Polícia Ambiental recebe diariamente inúmeras denúncias que infratores utilizam malhadeiras nas “bocas dos rios”, o que impede os peixes de subirem até as cabeceiras dos rios para realizarem a desova e a reprodução.


A equipe de fiscalização do BPA trabalha em todos os horários para coibir a pesca ilegal.


“Também consta nas denúncias a captura e o transporte de peixes com o tamanho fora da medida, sendo que algumas espécies possuem tamanho mínimo para a captura e transporte, como exemplo o Tambaqui (55cm); Surubim (80cm); Caparari (80cm), dentre outros”, conta o subcomandante.

Durante a abordagem é verificado se a pessoa possui a licença para pescar (carteirinha de pescador), os materiais utilizados como: linha de mão, caniço simples, caniço com molinete, anzóis simples, caniço com carretilha, providos de isca natural ou artificial, a quantidade de pescado para o transporte é de 10 kg + um exemplar, com exceção do Rio Guaporé que é de um exemplar apenas. Os pescadores profissionais podem utilizar alguns petrechos além dos citados, porém, devem se aterem aos tamanhos mínimos das malhas previstas em normas.

O trabalho de fiscalização para frear a conduta ilícita desses pescadores ilegais, que provocam o desequilíbrio ambiental, está sendo feito na região de Jacy-Paraná, distritos de Jacy-Paraná, Nova Mutum, Abunã e em Porto Velho.

Para realizar denúncias, a população pode ligar no Batalhão de Polícia Ambiental no telefone (69) 3230-1088 ou (69) 9995-6874 – WhatsApp.


Leia Mais:

Para melhor atender a população, prédios da Segurança Pública de Rondônia passam por vistorias

Mesmo em época de pandemia, ações para reabilitar animais silvestres são mantidas pelo Batalhão de Polícia Ambiental

Segurança Pública de Rondônia investe em cães farejadores para combater o tráfico de drogas

Fonte
Texto: Léia Castro
Fotos: Capitão Jairo
Secom - Governo de Rondônia