Engenheira que responde a diversos processos é nomeada em cargo de confiança no Governo de RO

R-BANNER-VAI-PASSAR_01_728x90-1.gif



A servidora chegou a ser presa na gestão do PT na Capital e foi indiciada por corrupção, improbidade administrativa e formação de quadrilha




A engenheira civil Josiane B. Faustino, lotada atualmente na Secretaria de Estado de Obras e Serviços Públicos do Estado de Rondônia – SEOSP, não poderia estar trabalhando em cargos de confiança nesse governo e em nenhum outro, pois é imoral uma profissional representar, como servidora pública, ao mesmo tempo em que responde por diversos processos judiciais e acusações justamente na área em que trabalha nos dias atuais. Segundo os processos publicados no site jusbrasil.com.br, 0179571-37.2003.8.22.0001, 01776-55.2001.4.01.4100 e 0005198-72.2000.4.01.4100, entre outros processos do Fórum Civil da Comarca de Porto Velho, a mesma teria se envolvido em crimes de improbidade administrativa, que é quando se age em má fé, adulterando documentos ou laudos para benefícios próprio ou de terceiros.



O Governo do Estado, mesmo com toda essa ficha suja, nomeou-a como servidora pública para ocupar cargo de confiança na SEOSP/RO. Segundo o Ministério Público, a engenheira Josiane teve os seus atos investigados por meio de escutas telefônicas autorizadas pela justiça, onde verificou-se a comprovação da suspeita, que se aliou a terceiros para desviar dinheiro público (documentação em anexo a matéria) causando danos ao erário público por diversas vezes em contratos de locação de hora-máquina pela SEMAD – Secretaria Municipal de Administração, onde era servidora do Município na época em que trabalhava na gestão do ex prefeito Roberto Sobrinho (PT).





Segundo consta no documento do processo emitido pelo MP e GAECO, as transcrições das ligações interceptadas, evidenciaram o esquema criminoso engendrado por agentes públicos e empresas contratadas via licitações. Os envolvidos usavam inclusive o timbrado da prefeitura para alterar criminalmente documentos para obter lucro com dinheiro público. Na época, a engenheira Josiane foi apontada como uma das principais responsáveis nas articulações junto as empresas empreiteiras. Segundo os autos dos processos, os atos ilícitos foram qualificados como corriqueiros no tempo em que a servidora do atual governo Marcos Rocha trabalhou para o município de Porto Velho. Cabe ao governo de Rondônia agora avaliar se a mesma possui qualificação moral para exercer um cargo de confiança no mesmo parâmetro de onde havia praticado diversos crimes que geraram corrupção e prejuízos ao sistema público de construção e desenvolvimento do Estado.
















Autor: GÉRI ANDERSON - INFORMAÇÃO E OPINIÃO





O Site Mídia Rondoniense não se responsabiliza pelo conteúdo de seus colunistas, apenas cedemos o espaço.