Sargento da PM pode ser expulso por incitar violência

S-BANNER-VAI-PASSAR_02_728x90.gif BANNER-COVID-2_728X90-px.gif


INCONSEQUENTE

Uma postagem em rede social, desejando que todos os apoiadores do presidente Bolsonaro, sejam contaminados com coronavírus pode custar o cargo para um policial militar de Rondônia.

SEM PENSAR

Com um pensamento contrário ao que prega o governo, o sargento da PM escreveu no Facebook: "O meu desejo é que todos os apoiadores do Bozo que tenham mais de 30 anos peguem o Covid-19. Não vão escapar! Eu acho é pouco! Boa noite!".

SUPERIORES

Embora a postagem não tenha chegado a “viralizar”, a manifestação do PM chegou ao conhecimento da Corregedoria e do Comandante Geral. O resultado acabou sendo um procedimento administrativo já instaurado pela corporação.

COMANDANTE GERAL

O Comandante da Polícia Militar de Rondônia, coronel Ronaldo Flores, disse que foi um ato infeliz. O coronel explica que a manifestação não reflete a opinião da Corporação cujos integrantes pautam suas condutas pelos princípios morais e pela ética.

EXPULSÃO

De acordo com o coronel Ronaldo, foram abertos pela Corregedoria os procedimentos em desfavor do sargento. Entre as punições previstas estão punição administrativa, prisão e exclusão dos quadros da Polícias Militar.

LIBERDADE

A constituição permite a livre manifestação do pensamento, sem dependências de censura, respondendo cada um, por abusos cometidos, conforme disposição legal. Mesmo que agisse como um cidadão comum, o militar não poderia se manifestar publicamente da forma como fez.

BOLSONARO

O mais incrível nesta manifestação é que dificilmente alguém imagina que o tal sargento não seja conhecedor de que o governador do estado, a quem a PM é subordinada, é um fiel apoiador dos atos do Presidente.

AUXÍLIO ALIMENTAÇÃO

O governador, Marcos Rocha, anunciou nesta terça-feira (26) a entrega do Cartão Alimentação Escolar, que servirá como um “auxílio merenda” para os estudantes da rede pública estadual de ensino em situação de vulnerabilidade social.




CRITÉRIOS

O auxílio do Governo de Rondônia será de R$ 150,00, divididos em duas parcelas de R$ 75,00, para famílias de estudantes que comprovadamente vivem em situação de miséria.

ESCOLHIDOS

De acordo com Marcos Rocha, a Secretaria Estadual de Educação é quem ficará responsável pela triagem das famílias que deverão receber o valor. Rocha disse que R$ 75,00 é o valor mensal que custa um estudante da Rede Estadual que costuma fazer refeição na escola.

USO DO CARTÃO

As compras de alimentos com cartão poderão ser realizadas no comércio local, em estabelecimentos credenciados pelo governo, e só valem para produtos de alimentação. O prazo do período de ajuda poderá ser prorrogado.

INTERDIÇÃO

Na coluna de ontem eu escrevi sobre a possibilidade que foi confirmada pelo Ministério Público do Trabalho. O MP, por intermédio da Promotoria de Justiça de São Miguel do Guaporé, ingressou com Ação Civil Pública com pedido de suspensão imediata das atividades do frigorífico da JBS na cidade.

PRAZO

O pedido de interdição é para 14 dias ou até que a que a empresa comprove ter cumprido todas as providências recomendadas, como forma de garantir a saúde dos trabalhadores e de evitar uma propagação ainda maior do novo coronavírus (COVID-19).

SEM CUIDADOS

De acordo com o MP, foram feitas várias denúncias de irregularidades no funcionamento do frigorífico da JBS, pelo desrespeito às normas sanitárias vigentes para contenção do coronavírus durante o período de pandemia. A Promotoria de Justiça e a Procuradoria do Trabalho comprovaram que o frigorífico da JBS, de fato, não vinha adotando satisfatoriamente as medidas necessárias para evitar aglomerações dos seus funcionários e para garantir o afastamento de trabalhadores com suspeita da doença.

OFICIAL

Segundo apurado, até a segunda-feira (25/5) já haviam sido confirmados 29 casos da COVID-19, entre funcionários da empresa, muitos dos quais permaneceram trabalhando, mesmo após apresentar sintomas característicos da infecção.

SEM AJUDA

Conforme o MPT, foi constatado que a empresa não ofertou aos seus funcionários qualquer teste para detecção da doença e tampouco realizou encaminhamento dos trabalhadores para a coleta dos exames, mesmo nos casos em que eram evidentes os sintomas característicos do novo coronavírus.

PARTICULAR

A denúncia informa que os trabalhadores só obtiveram a confirmação da doença quando procuraram, por iniciativa própria, laboratórios particulares ou públicos. Até o momento do ajuizamento da ação, já existia um óbito entre funcionários do frigorífico e outros cerca de 40 trabalhadores ainda aguardavam a coleta e/ou resultados dos seus testes.

MULTA

Na ação civil pública, o MPT pede a condenação da empresa JBS com pagamento de multa no valor de 20 milhões, a ser revertido para ações de melhoria da saúde da comunidade local, tendo em vista que os danos à saúde extrapolaram o âmbito interno da empresa.

OUTRO LADO

Em nota, o frigorífico informou que vem seguindo rigorosamente os protocolos recomendados pelos organismos de saúde. A JBS não comentou sobre a grande quantidade de infectados que foi constatada pelo Ministério Público do Trabalho.

SOBREVIVENDO EM ÉPOCA DE PANDEMIA

Ele anda pelas ruas mostrando sua arte e recebendo qualquer tipo de doação que o público oferecer. Galo malabares, segundo ele primeiro artista de rua de Rondônia, é de Ji-Paraná e mora há 25 anos na capital. Ontem à noite ao ir na farmácia cruzei por ele.
.


PROTEÇÃO

Galo me pediu uma doação e em troca faria uma “ apresentação”. Apesar de quase sempre só usar cartão, tinha R$ 5,00 no bolso. Entreguei para ele e disse que não precisava mostrar suas habilidades. Ele insistiu e fez seu show. A máscara que ele usa, parecida com as que protegem contra gases radioativos, foi o curioso da apresentação.