Em Porto Velho, PF prende homem que compartilhava pornografia infantil com pedófilos

CORONAVIRUS_02_468X60-px.gif


A Polícia Federal deflagrou na manhã desta quarta-feira (20) em Porto Velho, a “Operação Nilo”, de repressão ao armazenamento e divulgação de imagens e vídeos de exploração sexual de crianças e adolescentes na internet.


O mandado de busca e apreensão, expedido pela 7ª Vara Federal da Secção Judiciária de Rondônia, foi cumprido em uma residência no bairro Embratel.


Durante o cumprimento das buscas, o investigado foi autuado em flagrante tanto pelo delito de disponibilização/divulgação de material de pornografia infantil na internet (artigo 241- A, do ECA), como pelo delito de armazenamento de imagens e vídeos de exploração sexual infantil (Art 241-B, do ECA), fato constatado no cumprimento do mandado de busca e apreensão.


A Polícia Federal apreendeu, no interior da residência, equipamentos eletrônicos utilizados pelo investigado nas condutas criminosas. O homem detido foi levado para a sede da PF em Porto Velho para procedimentos policiais e, ao final, encaminhado ao sistema prisional estadual, onde permanecerá à disposição da Justiça.


As investigações iniciaram a partir de relatório produzido pela Unidade de Repressão aos Crimes de Ódio e à Pornografia Infantil na Internet da Polícia Federal (URCOP), em cooperação com autoridades do Canadá. Foi identificado e preso o usuário que armazenava milhares de arquivos de pornografia infantil e os compartilhava por meio de e-mail, softwares específicos e aplicativos de troca de mensagem.


O nome da operação, "Nilo", se deu em razão de o investigado ter compartilhado os arquivos contendo pornografia infantil, em grande parte, com pessoas residentes na cidade do Cairo, capital do Egito, localizada às margens do Rio Nilo.