CORONAVÍRUS: Hidroxicloroquina está inserida no protocolo de atendimento em RO

CORONAVIRUS_02_468X60-px.gif


O secretário estadual de Saúde, Fernando Máximo, falou com a imprensa na manhã desta sexta-feira (22) a atualizou os dados referentes ao combate à pandemia de Coronavírus em Rondônia.



De acordo com o secretário até o momento já são 2.659 casos confirmado de um total de 10.350 testes realizados pelo LACEM, 862 pacientes já foram curados.


A falta de leitos já é uma preocupação latente, já que segundo Fernando Máximo, os leitos de UTI do Cemetron está com 70% de sua capacidade, a AME com 90% e o SAMAR com 68%.



Entre os servidores 809 estão afastados, isso entre casos confirmados, suspeitos e grupo de risco. Nas últimas 24 horas retornaram aos postos de trabalho 17 servidores que foram infectados e se recuperam, somando um total de 311 servidores da Saúde que ficaram livres da doença.



Hidroxicloroquina



Máximo falou sobre a hidroxicloquina, medicamento que vem sendo alvo de manifestações sobre a inclusão dele no protocolo nacional de atendimento. Segundo o secretário, em Rondônia, apenas não está sendo aplicada a hidroxicloroquina para pacientes que optarem por não receber esse tratamento.



“Internou na rede saúde do estado de Rondônia, automaticamente recebe o protocolo da hidroxicloroquina, apenas em dois casos, pacientes com alteração cardíaca ou quando ele não quer. Mas a grande maioria, via de regra, estão sendo tratados com hidroxicloroquina”, afirmou Máximo.



O estado de Rondônia já alcançou a marca de 101 mortes.