Briga termina em uma pessoa morta e um foragido baleado em RO

Banner-8_728x90-px.gif

O crime aconteceu por volta das 21h00, do último domingo, dia 03, dentro da área do Parque da Rondônia Rural Show, em Ji-Paraná, envolvendo dois casais que estavam morando no alojamento do parque


De acordo com a Polícia, a Central de Operações da PM (190), recebeu uma ligação do guarda do parque informando que havia acabado de acontecer um roubo e que haviam duas pessoas baleadas no local, entre elas, sua esposa. Prontamente, as Guarnições de Rádio Patrulha e PATAMO se deslocaram para o endereço, mas antes de chegar no local se depararam com uma mulher desesperada, saindo do mato.



A mulher contou aos PM’s que passou o dia inteiro ingerindo bebida alcoólica, juntamente com seu esposo Raimundo e um casal de amigos, identificados como Vanda Ferreira Dias e Mário Júnior da Silva, em um bar na cidade e que por volta das 20h00, decidiram voltar para o alojamento.


Ao chegar no parque, os dois homens começaram uma briga e em um determinado momento, Mário sacou uma arma e começou a efetuar disparos contra Raimundo. Neste momento, a esposa de Mário entrou na frente e acabou sendo atingida com um disparo no peito.


A testemunha ainda contou que para não ser morta, saiu correndo do local e se escondeu no mato, onde só apareceu após ver a polícia chegando.


Quando os PM’s chegaram no alojamento, encontraram uma mulher caída ao solo, já sem vida e um homem baleado com três tiros no chão, agonizando. O suspeito, que até então havia ligado para o 190 e informado o suposto roubo, recebeu a polícia e manteve sua versão, até ser desmentido pela testemunha.


Sem ter como negar, Mário Júnior Silva da Silva, assumiu a autoria dos disparos. Porém, confessou que atirou acidentalmente em sua esposa.


Raimundo foi socorrido ao HM por uma equipe do Corpo de Bombeiros e ao chegar no pronto socorro, mentiu o nome para ser atendido. Após uma consulta no banco de dados, os policiais descobriram que seu verdadeiro nome era Raimundo Roni da Silva e contra ele, havia um Mandado de Prisão expedido pela Comarca de Porto Velho.


Durante uma busca pelas imediações, os militares acabaram encontrando uma espingarda calibre 28. A arma usada no crime, possivelmente um revólver calibre 22, não foi localizada.


Ainda de acordo com o Bope, Mário estava com um ferimento superficial feito à bala no braço esquerdo, que possivelmente foi realizado por ele mesmo para fortalecer sua versão sobre o roubo.



Comando 190