ALE-RO teria descumprido determinação do TCE ao nomear 570 comissionados durante a pandemia e presidente é notificado

CORONAVIRUS_02_468X60-px.gif


O presidente da Assembleia Legislativa de Rondônia (ALE-RO), Laerte Gomes, foi notificado pelo Tribunal de Contas do Estado de Rondônia (TCE/RO) para dar explicações a respeito da nomeação de 570 servidores comissionados durante a pandemia da covid-19, desrespeitando determinação do próprio órgão fiscalizador das contas públicas.


O TCE recebeu a comunicação formalizada por representante de um grupo de concursados da ALE denunciando a irregularidade


Conforme documento obtido pelo Extra de Rondônia, o conselheiro Edilson de Sousa Silva, relator do caso no TCE, em despacho proferido em 8 de maio (mas publicado no dia 12 no diário oficial do TCE) enviou ofício ao deputado estadual Laerte Gomes para que no prazo de 30 dias (o que ainda está em transcurso) protocole na Corte explicações que entender pertinentes aos fatos alegados, “a fim de que não se alegue eventual cerceamento de defesa”.


No final de março, devido à grave crise sanitária e econômica gerada pela pandemia de covid-19, o TCE, por meio de decisão monocrática, acolheu representação interposta pelo Ministério Público de Contas (MPC-RO), a fim de determinar ao uma série de medidas proativas e preventivas em razão da possibilidade de desequilíbrio orçamentário-financeiro, assim como a necessidade de proteger a continuidade da máquina administrativa (leia mais AQUI).


Entre as medidas está a abstenção de nomeação de novos servidores comissionados.


Através de página na rede social Facebook, os aprovados no último concurso da ALE requerem a convocação que é garantida por lei.

Despacho do conselheiro do TCE, Edilson de Sousa Silva / Foto: Extra de Rondônia