Acompanhados da polícia, servidores da prefeitura notificam comerciantes do Bairro Novo

S-BANNER-VAI-PASSAR_02_728x90.gif BANNER-COVID-2_728X90-px.gif


No dia 20 de fevereiro, os servidores da prefeitura foram ao local e notificaram alguns dos comerciantes. Já na noite desta sexta-feira (13), funcionários da Secretaria Municipal de Serviços Básicos (Semusb) foram ao local e deram continuidade nas notificações, dando o prazo para que os comerciantes desocupem a área até o dia 28 deste mês. Conforme relatado por uma comerciante, a prefeitura alega que os containers onde estão funcionando os comércios estão em ruas, portanto, devem ser retirados.


Os comerciantes estão atuando há mais de oito anos em duas ruas que não tem saída e nem residências, ou seja, vias completamente “mortas”. “Este é o único motivo que eles dão pra poder tirar a gente daqui, porque aqui é rua e a gente tem que sair. As ruas não têm saída! Se algum motorista entrar aqui, tem que sair de ré”, disse a trabalhadora.


No local, funcionam restaurantes, lanches e até pequenos mercados, que atendem os vários condomínios e dezenas de milhares de moradores de todos os condomínios que compõem o empreendimento Bairro Novo, incluindo o Condomínio Lírio, onde existem 33 torres residenciais com moradores. “A gente serve almoço e janta todos os dias. Aqui é muito distante do centro da cidade e os moradores gostam e necessitam deste nosso comércio, pois fica inviável sair daqui e ir até a parte mais urbana da cidade para se alimentar ou até mesmo realizar compras para casa”, relatou a denunciante.


Sem contar com os trabalhadores em questão, o único comércio existente para atender aos moradores está localizado na entrada do Bairro Novo ao lado do posto de combustíveis, porém, é muito distante para quem quer comprar algo.


Foi comentado pela comerciante sobre alguns terrenos existentes no final do Bairro Novo e que poderia ser usado para que se criasse uma praça de alimentação onde os comerciantes trabalhariam devidamente legalizados junto ao município, garantindo o sustento de suas famílias.


Os comerciantes têm reunião agendada na próxima quinta-feira (19), às 9h na Semusb para tratar sobre o assunto e tentar chegar a um acordo, visando a manutenção da ordem e garantia do trabalho digno.


Fonte: Lente Nervosa