Polícia faz operação no Orgulho do Madeira para combater crime organizado em RO

BANNER-VAI-PASSAR_02_728x90.gif 728x90d411b4316c22701e.gif


A Polícia Militar (PM) deflagrou na noite de sexta-feira (14) a primeira fase da Operação Pacatae, no Residencial Orgulho do Madeira, em Porto Velho. O objetivo foi combater crimes em uma área que, segundo a corporação, concentra um terço das ocorrências da Zona Leste da capital. A polícia não informou se houve prisões até a última atualização desta reportagem.


Na manhã deste sábado (15), estão previstos sobrevoos na área para verificação de materiais abandonados na mata adjacente ao residencial.


Segundo o comandante do 5º Batalhão de Polícia Militar (BPM), Major Renato Suffi, foram registradas ocorrências por tráfico de drogas, desacato, presos descumprindo medida cautelar, veículos recuperados, porte ilegal de arma, notificações de estabelecimentos comerciais sem alvará, além de esbulho possessório.


"Nós vamos intensificar a PM naquela localidade. Aquela área é responsável por 33% das ocorrências e devido essa 'mancha criminal', nós vamos atuar fortemente em cima dali com repressão e depois prevenção, porque o crime já está acontecendo naquela região", explica.


Operação Pacatae foi realizada na sexta-feira (14), na Zona Leste de Porto Velho. — Foto: PM/Divulgação

Suffi diz ainda que a intenção é frear a presença de facções criminosas no bairro e, para isso, conta com denúncias dos moradores.


"É necessário que a população do Orgulho do Madeira se envolva em diversos canais de denúncia. O mais facil deles é o 190 ou até fazer uma visita no batalhão, que será ouvido, colhida as informações e mantido o sigilo do denunciante", informa.



Operação Pacatae foi realizada na sexta-feira (14), na Zona Leste de Porto Velho. — Foto: PM/Divulgação

A primeira fase teve apoio do batalhões de Choque, Ambiental, 9º Batalhão (Zona Sul), Secretaria de Justiça e Polícia Civil.


O nome da operação é uma referência ao termo em latim que significa pacificação, restabelecimento da paz.



Fonte: g1