Publicidade

Mais de 10 casos de Aids são registrados por mês em Rondônia



Mais de 6 mil pessoas de Rondônia foram diagnosticadas com a Síndrome de Imunodeficiência Adquirida (Aids) nos últimos 38 anos. O número corresponde a uma média mensal de 13 casos positivos para a doença. Os dados são do Departamento de Doenças de Condições Crônicas e Infecções Sexualmente Transmissíveis.


Segundo o Departamento, 3.872 casos de Aids foram registrados em Rondônia entre 2008 e 2018, um aumento percentual de quase 77% em relação aos dados de 1980 a 2007. O número de óbitos chega a 900 em 10 anos, 62% a mais que o último período analisado.


Homens heterossexuais maiores de 13 anos têm os maiores números de diagnóstico da Aids, isto é, quase 63% dos casos registrados desde 2018. Nesses 38 anos foram 1.814 casos, enquanto em homossexuais e bissexuais foram 872.


Apesar da ocorrência em mulheres ser menor em relação a homens, ainda há um aumento preocupante de 52% nos últimos anos, quando mais de 1,4 mil casos foram informados.


O levantamento também mostrou que de 769 casos registrados de gestantes portadoras do Vírus da Imunodeficiência Humana (HIV), 601 deles correspondem aos últimos 10 anos, um aumento de 413% em relação aos anos de 1980 a 2007.

A cidade de Porto Velho corresponde ao maior número de pessoas com Aids, com 2.794 casos. Logo após aparece Ariquemes, com 265 notificações; Ji-Paraná em terceiro, com 255; Vilhena em quarto lugar, com 181 e logo em seguida Cacoal, com 91 casos.


Os indicadores ainda apontam que, até junho de 2019, 137 novos casos foram detectados no estado. Não foram feitas novas atualizações até o momento.


Diferença entre HIV e Aids

Viver com o HIV é diferente de ter Aids. HIV é a sigla em inglês para Vírus da Imunodeficiência Humana. Ele ataca principalmente células do sistema de defesa chamadas CD4 e torna o organismo mais vulnerável a outros vírus, bactérias e ao câncer.


No entanto, a maioria das pessoas que têm HIV não têm Aids porque no Brasil o tratamento com remédios chamados antirretrovirais é universal e acessível pelo SUS. As pessoas com HIV e que se tratam têm a mesma expectativa de vida das pessoas que não têm o HIV.


Apenas as que não se tratam ou sofrem algum tipo de problema na terapia não conseguem reduzir essa replicação e desenvolvem Aids, que é a Síndrome da Imunodeficiência Adquirida, um conjunto de sinais e sintomas relacionados à falência do sistema de defesa, caracterizada por uma série de infecções oportunistas e câncer.


Diagnóstico de HIV/Aids

O diagnóstico da infecção pelo HIV é feito a partir da coleta de sangue ou por fluido oral. No Brasil, existem os exames laboratoriais e os testes rápidos, que detectam os anticorpos contra o HIV em cerca de 30 minutos. Esses testes são realizados gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS), nas unidades da rede pública e nos Centros de Testagem e Aconselhamento (CTA).


Os exames podem ser feitos de forma anônima. Nos centros, além da coleta e da execução dos testes, há um processo de aconselhamento para facilitar a correta interpretação do resultado pelo(a) usuário(a).


Também é possível saber onde fazer o teste pelo Disque Saúde (136). Além da rede de serviços de saúde, é possível fazer os testes por intermédio de uma Organização da Sociedade Civil, no âmbito do Programa Viva Melhor Sabendo. Em todos os casos, a infecção pelo HIV pode ser detectada em, pelo menos, 30 dias a contar da situação de risco. Isso porque o exame (o laboratorial ou o teste rápido) busca por anticorpos contra o HIV no material coletado. Esse é o período chamado de janela imunológica.



Fonte: G1/RO
Mais de 10 casos de Aids são registrados por mês em Rondônia Mais de 10 casos de Aids são registrados por mês em Rondônia Reviewed by Mídia Rondoniense on dezembro 03, 2019 Rating: 5