Operação prende quadrilha especializada em roubos de casas em Porto Velho

CORONAVIRUS_02_468X60-px.gif
 

A Polícia Civil deflagrou na manhã desta terça-feira (3) uma operação para desarticular uma organização criminosa especializada em roubos na capital, Porto Velho. Ao todo, oito pessoas foram presas por integrar o grupo que invadia casas para fazer assaltos.


Segundo a Civil, a operação é chamada de Arcabuz, em referência ao nome de arma artesanal usada no século XVI. A operação na capital surgiu por causa da investigação de dois inquéritos paralelos.


Inicialmente estava previsto o cumprimento de dez prisões preventivas na capital, de 14 mandados expedidos pela Justiça, mas até o meio-dia foram presos oito suspeitos. A Civil também cumpriu 11 mandados de busca e apreensão.


Em entrevista ao G1, o delegado Marcelo Resem contou que o grupo tinha uma mesma tática nos roubos. "Eles sempre reuniam quatro ou cinco suspeitos e depois invadiam as casas, onde rendiam os moradores. Do local eles levavam o que podiam, inclusive carros", diz.



Fábrica artesanal foi desativada pela polícia nesta terça, 3 — Foto: Polícia Civil/Divulgação


Ainda segundo o delegado, os bandidos compravam armas caseiras para realizar os assaltos. Inicialmente a fábrica artesanal funcionava na Zona Leste da capital, porém o responsável pela confecção ficou com receito do local ser descoberto e então mudou a fábrica para Candeias do Jamari, região metropolitana de Porto Velho.


O fabricante das armas artesanais foi um dos presos na ação desta terça-feira, juntamente com o motorista que levava o grupo nos assaltos em Porto Velho.


A fábrica de armas foi fechada durante a operação Arcabuz.


Operação da Polícia Civil prende quadrilha em Porto Velho — Foto: Diêgo Holanda/G1


Fonte: G1/RO