Image and video hosting by TinyPic

Empresário de RO é preso pela PF por usar loja de celular para lavar dinheiro no tráfico de drogas


Um empresário de Ariquemes (RO), apontado pela Polícia Federal (PF) como o líder de uma organização criminosaespecializada no tráfico de drogas e lavagens de capitais, foi preso nesta terça-feira (26) durante a Operação Sarepta.


Segundo a PF, o homem havia deixado a cidade para uma viagem no último domingo (24), e foi preso com o auxílio da Polícia Rodoviária Federal (PRF), quando passava pela cidade de Coxim (MS).


Conforme as investigações, o empresário é dono de uma distribuidora de peças e assessórios para celulares e utilizava a empresa para emitir notas fiscais falsas e lavar o dinheiro obtido com o tráfico.


De acordo com o chefe do departamento de drogas da PF, Leonardo Marino, os entorpecentes saíam de Porto Velho e Ariquemes, sendo enviadas para a Bahia e São Paulo. O empresário fazia a remessa das drogas de forma oculta, colocando-as dentro de peças metálicas.

“As drogas eram colocadas dentro dessas peças, eram chumbadas com aço e remetidas por transportadoras contratadas que não tinham nenhuma ligação com o grupo de tráfico de drogas”, relatou.


Segundo PF, proprietário da loja estava em viagem e foi preso em Coxim (MS). — Foto: Rede Amazônica/Reprodução


Para lavar o dinheiro obtido de forma ilícita com a venda das drogas, os suspeitos usavam a loja de celulares ou efetuavam a compra de imóveis e veículos a serem negociados.

“A equipe de investigação conseguiu demonstrar que os suspeitos são proprietários tanto de fato quanto de direito de alguns caminhões. Alguns eram registrados em nomes de terceiros, mas que eram alugados para órgãos públicos ou particulares, como uma forma de dar aparência lícita ao dinheiro adquirido com o tráfico”, detalhou Marino.


Conforme a PF, o empresário também utilizava uma fazenda para fazer a lavagem do dinheiro ilícito, através da compra e venda de gado.

"As investigações comprovaram que ele está ha muito tempo se dedicando ao tráfico de drogas. O grupo tinha um esquema muito bem armado, que vinha de uma longa data, fazendo a remessa de droga para os outros estados”, revelou o chefe do departamento de drogas da PF.



Itens apreendidos serão encaminhados até a Vara de Delitos de Tóxicos, em Porto Velho. — Foto: Rede Amazônica/Reprodução


Depois de ser preso em Coxim (MS), o empresário deverá ser reencaminhado para Rondônia, onde prestará depoimento para a PF.



Operação Sarepta


Drogas eram remetidas de Porto Velho e Ariquemes para os Estados da Bahia e São Paulo — Foto: Polícia Federal/ Divulgação

A Polícia Federal (PF) deflagrou na manhã desta terça, a Operação Sarepta, para desarticular uma organização criminosa especializada no tráfico interestadual de drogas e lavagem de capitais. Ao todo, 27 mandados foram expedidos para serem cumpridos em Rondônia, São Paulo e Bahia.


As investigações da operação começaram em janeiro de 2018, quando a PF identificou a apreensão de duas cargas de entorpecentes em Itabuna (BA) e São Paulo. A carga totaliza 140kg de cocaína.


Drogas eram escondidas no interior de peças metálicas de chumbo — Foto: Polícia Federal/ Divulgação


Segundo a PF, 10 equipes de policiais federais atuaram na região do Vale do Jamari, em Rondônia. Dos mandados expedidos, três são de de prisão preventiva, cinco de prisão temporária e 19 mandados de busca e apreensão em Porto Velho, Ariquemes (RO), Alto Paraíso (RO), Monte Negro (RO), Rio Crespo (RO), São Paulo e três cidades da Bahia.


Conforme Leonardo Marino, sete mandados de prisão foram cumpridos e um dos suspeitos está foragido. Além das prisões e buscas, a Vara de Delitos de Tóxicos de Porto Velho determinou o bloqueio de contas bancárias e bens dos investigados, assim como sequestro de imóveis, veículos e gados.


Investigações da Operação Sarepta começaram em janeiro de 2018, segundo PF — Foto: Polícia Federal/ Divulgação

Os presos responderão pelos crimes de tráfico de drogas, associação para o tráfico e lavagem de dinheiro e serão encaminhados para as unidades prisionais, onde ficarão à disposição da Vara de Delitos de Tóxicos.


G1-RO
Empresário de RO é preso pela PF por usar loja de celular para lavar dinheiro no tráfico de drogas Empresário de RO é preso pela PF por usar loja de celular para lavar dinheiro no tráfico de drogas Reviewed by Mídia Rondoniense on fevereiro 26, 2019 Rating: 5

Nenhum comentário