FLOR_728x90px.gif

INVESTIMENTOS_468x60.gif
Queimadas_468x60px.gif

Porto Velho: 104 anos em imagens


Há exatos 104 anos foi criado o município de Porto Velho, capital do estado de Rondônia. À margem direita do Rio Madeira, importante rio de navegação e produção de energia, o município possui riquezas, encantos e atrativos para os moradores. É uma metrópole ainda jovem, mas com potencial para o desenvolvimento. Entre as belezas, o pôr do sol no Rio Madeira, Praça Três Caixas D’Água, Espaço Alternativo, Igreja de Santo Antônio e vários outros.

Antes integrada ao município de Humaitá, no Amazonas, Porto Velho foi criada pela Lei 756, aprovada em 2 de outubro de 1914 pela Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas. No entanto, ainda era um município amazonense, conforme o desejo do então governador, Jonatas Pedrosa. Somente em 1943, junto com o município de Guajará-Mirim, passou a constituir o Território Federal do Guaporé, que depois, em 1956, passou a ser denominado Rondônia, sendo elevado a Estado em 1982.

Atualmente, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, (IBGE), a capital rondoniense é considerada a terceira mais populosa da Região Norte, com mais de 428 mil habitantes, mas que neste ano deve chegar a 519.531 habitantes. É a única capital brasileira que faz fronteira com outro país, a Bolívia. 

São mais de 34 mil km² em área territorial, com 75 bairros divididos entre as zonas Sul, Leste, Norte e Oeste. O atual prefeito da capital é Hildon de Lima Chaves (PSDB), tendo como vice-prefeito Edgar do Boi (PSDC).


Foto: Silva Junior/MTUR



De onde vem o nome Porto Velho? 
Durante a Guerra do Paraguai (1864-1870), destacamentos do Exército Brasileiro, após abrirem clareiras na floresta Amazônica, chegaram a um arraial conhecido como Santo Antônio do Alto Madeira, fundado pelo jesuíta João Sampayo, em 1728, à beira da cachoeira de Santo Antônio. A localização deste Arraial era estratégica à época: ali ficava a fronteira entre o trecho navegável e o trecho inóspito do rio. Por isso, ali também fora construído um porto, em que atracavam os chamados navios-gaiola. Alguns anos depois, teve início a construção de um novo porto, após o imperador Dom Pedro II ter autorizado, em 1883, os navios mercantes de todas as nações a subirem o rio Madeira. Os militares, então, passaram a chamar as instalações anteriores, que ainda eram utilizadas, de Porto Velho – termo que se perpetuou ao dar nome ao município.


Foto: Silva Junior/MTUR


Complexo histórico
A histórica de Porto Velho é recheada de glórias e fracassos. Parte ainda tenta sobreviver no complexo da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré (EFMM), Terminal Ferroviário, o Cemitério da Candelária, locomotivas, Três Caixas D’Água. Outros foram surgindo com o passar o tempo como o Mercado Cultural, Espaço Alternativo, Mercado do Km 1, Memorial Jorge Teixeira, Teatro Estadual Palácio das Artes e Casa de Cultura Ivan Marrocos. 

A miscigenação dos moradores, que ocuparam a Porto Velho vindo de vários lugares do país, também é percebida na cultura, com pluralismo através do seu calendário de festas, onde se destacam Flor do Maracujá - realizado há mais de 30 anos e que reúne artistas locais com concursos de quadrilhas e bois-bumbás; festivais de praia; festejos carnavalescos como a tradicional Banda do Vai Quem Quer.



Foto: Ivanete Damasceno/Rondoniagora


Lazer
Para quem não abre mão da natureza, Porto Velho também possui locais arborizados e abertos para o público. Para quem gosta de caminhar, o Parque da Cidade é um bom lugar para praticar atividades físicas e apreciar a natureza localizado na Avenida Calama, Bairro Flodoaldo Pontes Pinto.
Outro local bastante visitado nos fins de semana é o Parque Ecológico com espaço para a família com espaço para tirolesa, trilha e com uma nova catalogação das espécies da fauna e flora, expostas no novo Salão de Visitação de Acervo Ambiental ou Biológico (Museu) da região.

Para quem gosta de curtir um belíssimo pôr do sol, pode visitar o complexo da EFMM e ainda fazer o tradicional passeio de barco, se aproximando da barragem da usina Santo Antônio e ainda passando sob a ponte da BR-319. 

Foto: Silva Junior/MTUR

Foto: Uil Cavalcante/Rondoniagora

Viadutos
Em construção desde 2009, com recursos do governo federal, por meio do Programa de Aceleração do Crescimento, Porto Velho deveria começou a finalizar as tão famosas obras em 2017. No entanto, todos os complexos só devem ser finalizados até dezembro deste ano, segundo estimativa do Dnit. Além de desafogar o trânsito e melhorar o acesso a entradas e saídas da capital rondoniense, recentemente as construções ganharam vida e cor, por meio da grafitagem.

Foto: Marcos Figueira/Rondoniagora


Educação
Responsável pela educação infantil e ensino fundamental de 1º ao 5º ano, a educação do município de Porto Velho conseguiu uma leve melhora na avaliação do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) divulgada pelo Inep neste ano. 

O município possui 139 escolas, sendo 11 na Zona Oeste, 25 na Sul, 15 na Norte, 29 na Leste e 59 na área rural do município. Estas, tem enfrentados constantes problemas com a falta de transportes escolar para os estudantes. 

Foto: Uil Cavalcante/Rondoniagora


Saúde
Para atender os munícipes, a capital conta com 52 Unidades Básicas de Saúde (UBSs) na zona urbana e rural do município com atendimento de segunda a sexta-feira, além de duas unidades de pronto atendimento – UPA Sul e Leste. Segundo a Semusa, estas unidades devem ser utilizadas somente em casos de urgência e emergência. O atendimento funciona 24 horas. Os casos atendidos são, em sua maioria, relacionados a pressão, febre alta, fraturas, cortes, infarto ou derrame.


Dados do IBGE, mostram que a taxa de mortalidade infantil média na cidade é de 13.36 para mil nascidos vivos. As internações devido a diarreias são de 0.6 para cada mil habitantes. 

Foto: Silva Junior/MTUR


Economia
As principais atividades da cidade são as indústrias de alimentos, hidrelétricas, frigoríficos, grandes supermercados atacadistas, fábrica de móveis, postos de gasolinas e refinarias. A produção agrícola, que inclui macaxeira, açaí, banana, entre outros; pecuária e piscicultura também são fortes na capital rondoniense.

Em pleno funcionamento, as usinas hidrelétricas Santo Antônio e Jirau estão entre as maiores do país e geram riquezas para Porto Velho. Conforme a Santo Antônio Energia, com o término da construção são 50 turbinas em funcionamento, com seis, exclusivamente, para atender 40% da energia necessária para Rondônia e Acre. Atualmente, a usina gera 1 mil empregos, direta e indiretamente.

Também com 50 turbinas em atividade, a Usina Jirau não respondeu aos questionamentos da reportagem.

Em 2008, foi inaugurado o Porto Velho Shopping localizado na Avenida Rio Madeira, Bairro Flodoaldo Pontes Pinto, que transformou o hábito da população, com lojas nacionais e internacionais jamais vistas na cidade, praça de alimentação, banco, espaço kids, cinema, choperia e estacionamento para veículos.

Foto: Silva Junior/MTUR


Veja a galeria de imagens:

Foto: Uil Cavalcante/Rondoniagora

Foto: Ivanete Damasceno/Rondoniagora













Comemorações
Organizada pela prefeitura de Porto Velho, as comemorações nesta terça-feira (2) seguem a partir 16 horas, no Mercado Cultural, com apresentações musicais.

Foto: Silva Junior/MTUR

Fonte: Rondoniagora
Porto Velho: 104 anos em imagens Porto Velho: 104 anos em imagens Reviewed by Mídia Rondoniense on outubro 02, 2018 Rating: 5